Reflexão para Lìderes Cristãos: Os Jarros de Barro – parte 2


"Temos, porém, este tesouro em vasos de barro..." 2 Cor. 4:7

"Temos, porém, este tesouro em vasos de barro..." 2 Cor. 4:7

Em 2 Coríntios 4:7-10, Paulo nos fala sobre Deus que guarda algo de valioso num recipiente que é barato; Paulo os chama de vasos ou jarros de barro. De acordo com Paulo, Deus mostra seu poder vivificador em nós e Deus aplica esse poder de vida através de nós.

Envie um email para seu amigo e divulgue no Facebook | Digg | Del.icio.us | Stumbleupon | Reddit | Blinklist | Twitter | Technorati | Yahoo Buzz | Newsvine

Do pouco que sabemos sobre ele, Paulo não era uma pessoa que chamasse a atenção. Ele não era conhecido como um orador eloquente, provavelmente era baixo e parecia ter problemas de saúde, incluindo vista fraca. Ele frequentemente recebia críticas, agressões, rejeição e perseguição. Mas, de algum modo, a Palavra de Deus foi propagada por meio dele e por isso a igreja cristã foi estabelecida em todo o mundo conhecido da época.

A única explicação para isso, é que Deus estava trabalhando através de Paulo e provando que Ele tudo pode. É a única explicação, porque não faz sentido para nós, colocar algo tão valioso (a igreja de Cristo) num recipiente tão fraco, doente e sem uso (o corpo de Paulo). Deus é tão poderoso que pegou uma pessoa sofrida, doente e meio cega como Paulo e o fez propagar a fé cristã por milhares e milhares de quilômetros, da Ásia até a Europa.

Imagine que você convidou amigos para o jantar e você decide fazer a sua especialidade: Frango Cordon Bleu. É uma receita familiar que leva quase todo o dia para ser preparada, mas seus hóspedes são importantes e você está feliz de poder preparar esse prato especial para eles.

Quando chega a hora do jantar, você traz seu prato especial e o coloca no meio da mesa e seus convidados exclamam: “Puxa, olhem para isso. Que linda travessa!». Então eles passam o resto do jantar admirando a travessa. “Onde você conseguiu essa travessa?” perguntam eles para você. Ninguém repara no seu Frango Cordon Bleu super especial.

Na próxima vez, faça assim: sirva-o numa travessa descartável de alumínio e assim o recipiente não vai atrair a atenção de ninguém.

É assim que Deus coloca vida em recipientes comuns, como eu e você, para que as pessoas louvem a Ele (o conteúdo) e não louvem a nós (os recipientes). Nós somos o que somos apenas por causa do tesouro divino que carregamos conosco – o poder de Cristo. E quanto mais difícil a vida fica, mas esse tesouro aparece!

É uma lição muito importante para a nossa igreja cristã de hoje em vários países. Você não precisa procurar muito para encontrar um pastor por aí, de Bíblia na mão e dizendo a você que Deus quer que você seja rico, saudável e feliz. Escute uma rádio cristã, veja um programa de TV cristão, navegue na Internet e você encontrará pessoas que lhe dirão que Deus quer abençoar você com sucesso, prosperidade e uma vida longa e feliz.

Na época de Paulo em Corinto, também havia ministros cristãos que diziam a mesma coisa. Eles criticavam e colocavam em dúvida o ministério de Paulo, por causa do sofrimento e vida difícil de Paulo. Pensavam: se Deus traz tanto sofrimento a Paulo é por que Paulo não merece as bênçãos de Deus. É por isso que Paulo fala de suas credenciais para ministrar a palavra de Deus.

É uma lista estranha, vejam: em vez de mencionar seus pontos fortes e realizações, Paulo lista suas dificuldades e desapontamentos. Pense comigo: imagine que você se candidata a um emprego e na sua entrevista com o empregador você fala “Eu fui expulso da escola por causa das minhas notas baixas, mas eu fiz o melhor que pude. Eu fui demitido dos meus últimos dois empregos, mas eu aprendi muito durante o processo. Eu tenho algumas cartas de referência aqui: esta é de um treinador que me afastou do seu time e esta outra é do meu oficial de condicional, quando saí da cadeia”. E foi de modo similar que Paulo mostrou suas credenciais, seu CV em Corinto!

Leiam as palavras poderosíssimas de Paulo: “Temos, porém esse tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós. Em tudo somos atribulados, orem não angustiados; perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos; levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a sua vida se manifeste em nosso corpo.”

Talvez você saiba como é se sentir assim: sofrido, abatido, derrubado. Talvez você tenha passado por algum problema ou derrota, um atrás do outro: problemas financeiros, de saúde, perda de emprego e brigas familiares. Paulo e seus missionários foram abatidos, infernizados, perseguidos e derrubados. Mas eles sempre se levantavam de novo!

Lembre-se: o poder de Deus nunca é tão visível do que quando estamos passando por tempos difíceis.

Na próxima semana, nós falaremos sobre a terceira parte de nossa existência como Jarros de Barro de Deus.

Leia também:

Reflexão para Pastores : Os Jarros de Barro – Parte 1

Reflexão para Pastores: Os Jarros de Barro – parte 2

Reflexão para Pastores: Os Jarros de Barro – última parte

Fonte: pastor Brian Powell

Envie um email para seu amigo e divulgue no FacebookDiggDel.icio.usStumbleuponReddit |BlinklistTwitterTechnoratiYahoo BuzzNewsvine

Anúncios

2 Respostas

  1. […] você não leu, aqui estão Os Jarros de Barro – parte 1 e Os Jarros de Barro – parte 2 […]

  2. […] Reflexão para Pastores: Os Jarros de Barro – parte 2 […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: