MISSIONÁRIO: Maluco, Mártir, Mendigo ou o Quê? – parte 3


missionário mendigo

missionário mendigo

Por Antonia Leonora van der Meer

A missionária Antonia propagou a fé de Cristo durante 10 anos em Angola, tem o direito de usar esse título de Missionária com “M” maiúsculo. A seguir o artigo dela:

Parte 3: Missionário Mendigo?

Ainda outros vêem o missionário como mendigo:

-“Na minha igreja, missionário não prega!”

Um visitante estrangeiro, a quem um pastor foi constrangido a ceder o púlpito, transmitiu a mensagem de Deus e, para surpresa do pastor preconceituoso, não pediu nada. Não estava ali para pedir!

Envie por email para seu amigo e divulgue no seu Facebook | Digg | Del.icio.us | Stumbleupon | Reddit | Blinklist | Twitter | Technorati | Yahoo Buzz | Newsvine

Podemos perguntar mais uma vez: por que o pastor é digno de salário decente, plano de saúde, auxílio para transporte, etc., e o missionário é obrigado a “pedir esmolas” para o seu sustento? Pessoalmente, dou graças a Deus porque nunca precisei pedir pelo meu sustento. Os próprios líderes da Missão escreveram algumas cartas e igrejas e irmãos se manifestaram com boa disposição para ajudar no meu sustento, muitas vezes fontes inesperadas e fiéis. Nunca faltou nada.

Mas o missionário que é convidado para se apresentar com carta de sua agência missionária com vistas a levantar sustento para o seu ministério não deveria se sentir e muito menos ser tratado como mendigo. Ele não é um peregrino solitário, mas um enviado, um embaixador, em primeiro lugar de Jesus Cristo, mas também da igreja.

Missões é sempre um ministério participativo, nunca uma tarefa isolada de um excêntrico.

Conheci uma missionária que, depois de vários anos de ministério frutífero no exterior, passou um tempo no Brasil para mais treinamento. Ela sofria com dor de dente, mas não tinha coragem de compartilhar essa necessidade com sua igreja, com medo de ouvir:

-“Lá vem nossa missionária pedir dinheiro de novo!”

A igreja deveria providenciar este e outros cuidados naturalmente, livrando seus missionários de tal constrangimento. Por outro lado, a igreja não deve ser ingênua, como muitas vezes tem se mostrado.

Há missionários com boa lábia, que despertam as emoções e levam as pessoas a contribuir. Estes, nem sempre têm um bom testemunho no campo. Há outros que são fiéis e respeitados no seu ministério: são mais humildes na apresentação e, por isso, são esquecidos. De qualquer forma, parece ser algo extraordinário, não normal, contribuir com o sustento missionário.

A igreja deve saber também que é muito melhor sustentar alguns, com um compromisso integral de intercessão e cuidado pastoral, que dar esmolas a muitos. Uma igreja com coração missionário recebe bem seu missionário que vem de férias e o ajuda a conseguir moradia, cuidados de saúde, apoio pastoral, um lugar para descansar. Muitas igrejas ainda não têm essa visão. Assim, muitos missionários voltam ainda mais arrebentados para o campo.

Uma vez fui convidada insistentemente (quase forçada) para ir numa grande reunião de senhoras de muitas congregações diferentes. Estava com pouco tempo, mas cedi ao convite. Quando chegou o momento para o testemunho missionário, a dirigente falou:

-“Tem uma pessoa aqui que veio nos pedir uma coisa. Vamos lhe dar dois minutos?”

Sentindo-me humilhada, consertei: -“Não vim pedir nada. Fui convidada para dar um testemunho. Se me ouvirem pelo menos cinco minutos, disponho-me a falar.”

Soube que, numa grande conferência cristã na Inglaterra, alguém fez um apelo para que os participantes guardassem os saquinhos de chá usados para doar aos missionários. No dia seguinte, por toda parte, viam-se saquinhos secando ao sol. Por que não pensaram em usar duas vezes o mesmo saquinho de chá e enviar saquinhos novos para os missionários?

Em várias igrejas, tenho pedido roupas e calçados usados e literatura evangélica para ajudar os irmãos angolanos. Muitas estão dispostas a dar, mas não a selecionar, empacotar e, muito menos, ajudar nos custos de transporte. É sempre uma feliz surpresa quando uma igreja ou pessoa prontificam-se não apenas a doar, mas também a enviar as doações.

Continua na próxima semana: O Missionário é o Quê? Assine nosso Twitter para receber aviso sobre a continuação. Enquanto isso, leia este artigo do Time de Cristo.

Missionário: Maluco, Mártir, Mendigo ou o quê? – parte 1

Missionário: Maluco, Mártir, Mendigo ou o que? – parte 2

Envie por email para seu amigo e divulgue no seu FacebookDiggDel.icio.usStumbleuponRedditBlinklistTwitterTechnoratiYahoo BuzzNewsvine

Anúncios

2 Respostas

  1. […] Mendigo ou o Quê? – parte 1 MISSIONÁRIO: Maluco, Mártir, Mendigo ou o Quê? – parte 2 MISSIONÁRIO: Maluco, Mártir, Mendigo ou o Quê? – parte 3 Missionários: de Gabinete, de Palco e o Empreiteiro Testemunho Missionário: Pr. Sérgio […]

  2. […] de Deus e, para surpresa do pastor preconceituoso, não pediu nada. Não estava ali para pedir!Envie por email para seu amigo e divulgue no seu Facebook | Digg | Del.icio.us | Stumbleupon | Reddit | […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: