Apesar da Democracia, os cristãos do Butão continuam a enfrentar repressão.


THIMPHU, Butão, 25 de janeiro de 2010 (CDN) – Os cristãos temem que a prática aberta da fé pode gerar mais perseguições. Nesta distante e isolada nação ao leste do Himalaia, conhecida como “A terra do Dragão”, praticamente tudo parece estar nos conformes budistas.

Não há sinais visíveis da pequena presença cristã, mas ela existe. Os cristãos, cuja identidade oficial encaixa-se na categoria de “outros”, possuem número estimado entre 3.000 e 6.000. E eles vivem suas vidas cristãs em anonimato – não são permitidos igrejas, cemitérios cristãos, e livrarias cristãs.

“Um jornalista me telefonou perguntando se eu estava convertendo moradores locais”, disse anonimamente um pastor de meia-idade. Ele disse ao jornalista que não pagava às pessoas para se converterem. “As pessoas se tornam cristãs por espontânea vontade”. “Eu estou trabalhando dentro da constituição do país.”

Ainda uma monarquia

Quando questionado a respeito do anonimato cristão, apesar liberdade religiosa constitucional, o pastor respondeu: “O Butão ainda é uma monarquia praticamente. Mas ainda virá o tempo onde teremos nossa proteção assegurada.”

Também questionado a respeito do que aconteceria se as autoridades descobrissem a existência de sua igreja anônima, o pastor disse que antes de 2008 ele teria sido preso, porque o cristianismo costumava ser banido.

“Mesmo agora, existiriam sérias repercussões,” ele disse. “O que exatamente aconteceria, eu não sei. Mas nenhum trabalhador cristão correrá o risco de descobrir da pior forma.”

“É uma democracia, não democrática,” disse um civil, funcionário do governo, após pedir o anonimato. “É o rei que ainda toma todas as decisões importantes.”

Banido

Um pastor da cidade de Pheuntsholing, perto da fronteira indiana, explica que as memórias de um período de séria repressão às igrejas anônimas ainda estavam frescas na memória dos cristãos locais.

“Eu fui levado de uma casa, onde estava conduzindo um culto, no distrito de Tsirang em Setembro de 1995, e colocado em uma prisão,” disse o pastor. “Eu fui convidado a deixar o distrito e me mudar para outro local.”

Sua voz estava tremendo enquanto ele falava no telefone: “uma vez que o governo descobre que você é um cristão, nada mais será de graça.”

Leis Ambíguas

Em maio de 2009, o jornal nacional Bhutan Times mencionou o relato do Ministro Lyonpo Minjur Dorji: “é perfeitamente aceitável nascer um cristão, a constituição os protege. Mas é desleal converter-se ao cristianismo. Se nós encontrarmos provas de politeização no país, nós definitivamente tomaremos ação contra isso.”

No entanto, de acordo com o Artigo 8, é um dever fundamental de todos os cidadãos “preservar, proteger e respeitar a cultura e herança do país.”

“Desconsiderando as restrições religiosas, nós estamos felizes por estar no Butão”, disse um pastor de Thimphu. “Olhe para os inquietos Nepal, China e Índia. Nós estamos felizes e gratos à Deus por nossa nação.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: