Caso nr. 1: Perseguição da Igreja Shanxi Linfen Fushan


Yang Ronali e seu marido Wang Xiaoguang foram detidos em setembro de 2009. Por volta de 3 da Manhã de 13 de setembro de 2009, uma multidão variada de 400 policiais do governo local e milícias com uniformes da polícia entrou à força na área em construção da Igreja de Fushan e agrediu os seus membros que estavam dormindo em quartos dentro da construção.

Mais de 100 membros da igreja foram feridos; 30 pessoas foram agredidas tão severamente que foram mandadas para o pronto-socorro. A polícia quebrou as janelas e portas da fábrica, e saqueou os bens da igreja, incluindo TVs, geladeiras, dinheiro e carros. A polícia chinesa ainda vandalizou 17 aposentos, e destruíram as fundações da construção.

Os líderes da Igreja Linfen organizaram um culto no dia depois do ataque, onde compareceram mais de 1.000 fiéis, mesmo sofrendo ameaças das autoridades locais. Nas semanas seguintes, mais de 30 líderes da Igreja Linfen foram presos. A Rede de Igrejas Domésticas Linfen foi proibida de se reunir e foi posta sob vigilância militar 24 horas por dia.

A polícia da região de Fushan ofereceu à Igreja 1.4 milhões de yuans (=R$357 mil) sob a condição de não registrarem queixa com o governo Central, mas a oferta foi rejeitada quando os oficiais se recusaram a encerrar a vigilância e a coerção contra os cristãos.

Depois de uma segunda onda de prisões em meados de outubro de outubro, o departamento de segurança pública de Fushan libertou todos os líderes da Linfen menos dez. No dia 17 de outubro, cinco foram sentenciados à cadeia. Em dois de novembro, o Tribunal de Linfen notificou abruptamente as famílias de Yang Rongli, Wang Xiaoguang, Yang Xuan, Cui Jiaxing e Zhang Huamei que seu processo seria julgado em 25 de novembro de 2009.

A Corte do Povo de Linfen fez um julgamento apressado, e anunciou os vereditos para os cinco pastores da Igreja Linfen depois da audiência. Vários procedimentos legais não foram seguidos, com evidência apontando para um veredito já decidido, que viola a lei chinesa.

Duas acusações foram usadas – os crimes de “ocupação ilegal de terra rural” e “perturbação da paz pela organização de reuniões publicas.” A irmã Yang Rongli foi condenada a sete anos de prisão e multada em R$7.9 mil; o pastor Wang Xiaoguang, a três anos de cadeia e R$2,6 mil; Yang Xuan, a três anos e meio e =R$5,3 mil; Cui Jiaxing, a cinco anos e meio e R$13,2 mil; e Zhang Huamei, a quatro anos de cadeia.

Em trinta de novembro, os cinco outros líderes da igreja foram acusados de “organizar pessoas para a perturbação das vias de transporte” e foram arbitrariamente sentenciados a dois anos de reeducação pelo trabalho (prisão com trabalhos forçados, começando em 11 de outubro de 2009). Esses líderes cristãos incluem Li Shuangping e sua esposa Yang Hongzhen, Yang Caizhen (mulher de Yang Xuan), Gao Qin e Zhao Guoai.

A Igreja Linfen foi fundada em 1978 e tem mais de 50.000 fiéis membros. Ela é muito influenciada pelos ensinamentos do pastor Hsi (1835-1896), um líder cristão local famoso no século XIX. O Pastor Hsi escreveu vários hinos cristãos chineses.

Fonte: ChinaAid

Anúncios

Uma resposta

  1. Amados nosso Deus està vendo tudo isto.que Deus vos abencoe e vos dé mais fé em nome de Jesus amen.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: