Tribunal na Turquia força o encerramento de caso de assassinato em Malatya


MALATYA, Turquia, 24 de fevereiro de 2010 (CDN) – Juízes rejeitam o pedido de investigação dos elos que levariam aos possíveis culpados. Na sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010, a avidez dos juízes em encerrar o julgamento do assassinato de três cristãos postergou a investigação dos suspeitos pelo crime.

Na vigésima quarta audiência das mortes dos cristãos turcos Necati Aydin, Ugur Yukusel e o cristão alemão Tilmann Geske em 2007, os advogados de acusação exigiram a pena de prisão perpétua, sem chance de liberdade condicional, para cada réu.

Os juízes e advogados de acusação pressionaram uma conclusão para o caso, que durou quase três anos. Nas últimas semanas os advogados de acusação em Istambul enviaram um relatório de polícia para a Corte de Malatya, coligando os assassinatos a uma operação de estado liderada por um grupo de generais aposentados, políticos e outros grupos, chamados de Ergenekon. Os juízes, no entanto, rejeitaram o relatório e a possível relação entre os dois eventos.

Em um relatório de 17 páginas, os advogados detalharam as acusações contra os cinco jovens réus: Emre Gunaydin, Salih Gürler, Cuma Ozdemir, Hamit Ceker and Abuzer Yildirim, e exigiram três penas de prisão perpétua consecutivas, para cada réu. Os cinco homens são acusados de assassinato, como parte de uma organização terrorista.

“Nòs exigimos a penalidade máxima possível, no entanto, nós estamos derrotados neste caso quando consideramos que esses cinco homens são parte de um plano maior… e que este incidente ocorreu como parte deste plano,” disse o advogado de acusação Murat Dincer. Murat recomenda que a acusação leve em conta apenas o assassinato em si, e não a correlação com a suspeita de envolvimento das autoridades.

“O julgamento é importante porque esperamos que seja acatada a pena, porém nós não gostaríamos que os advogados de acusação parassem de investigar o envolvimento com o Ergenekon,” disse o advogado Erdal Dogan.

Nos últimos três anos, os advogados de acusação apresentaram muitas evidências que demonstram como os assassinos de Malatya faziam parte de uma única operação que visava o ataque de minorias cristãs, num esforço de desestabilização do atual governo turco.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: