Muçulmanos paquistaneses acusados de estupro atacam irmãs


LAHORE, Paquistão, 18 de março de 2010 (CDN) – Temendo condenação, os cinco suspeitos espancaram irmãs de 15 e 21 anos de idade, na tentativa de intimidá-las a retirar as acusações. Cinco muçulmanos saquearam a casa de uma família cristã pobre na cidade capital da província de Punjab, e furiosamente espancaram as filhas, numa tentativa de convencer a família a retirar as acusações de estupro.

Muhammad Sajjid, armado com uma pistola de 30 mm, Muhammad Sharif, brandindo uma adaga, e Muhammad Wajjad, acompanhando de mais duas pessoas não identificadas que carregavam porretes de bambu, chegaram à casa de Piyara Masih na tarde de 26 de fevereiro de 2010.

Os muçulmanos saquearam a casa, e começaram a espancar as duas filhas, uma de 15 anos de idade, e outra de 21 anos, Muniran Bibi, de acordo com o advogado Shujjat, líder do Global Evangelical Ministries, e Khalid Gill, presidente da Christian Liberation Front (CLF).

Muniran disse que Sharif a esfaqueou quatro vezes com a adaga. “Eles arrancaram as minhas roupas, assim como as da minha irmã,” ela disse. “Enquanto isso, Muhammad Sajjid continuou a atirar para o ar, com o intuito de nos aterrorizar.”

A família acusa os homens de estuprar a irmã mais nova quando ela tinha 13 anos de idade, em 2008. O frágil pai disse que o líder do grupo, Sajjid, comandou seus companheiros para que atacassem tanto Muniran quanto sua irmã, mas os outros membros do bando não o obedeceram.

Um vizinho, que pediu para se manter anônimo, disse que um número grande de pessoas se reuniu na frente da casa, ao escutarem os gritos de choro da família cristã, o que resultou na fuga dos cinco muçulmanos.

Os cristãos dizem que os ataques à família aconteceram porque os cristãos não possuem respaldo da justiça paquistanesa. Os cristãos são considerados cidadão de segunda classe nesse país de maioria muçulmana.. Assim, facilmente podem ser forçados violentamente ao silêncio, através de ameaças, subornos ou outros meios. Quando a família buscou a ajuda da polícia, a ocorrência não foi registrada. O advogado Shujaat disse que ao recusar a ocorrência, a polícia curvou-se ao poder dos muçulmanos locais.

A polícia não registrou a ocorrência até o dia 2 de março de 2010, sob a ordem do juiz Mahr Muhammad Yousaf. A família cristã ainda recebe ameaças de morte.

Gill, que além de ser presidente da CLF é líder da All Pakistan Minorities Alliance, disse que o estupro aconteceu em um domingo de Páscoa, em 8 de abril de 2007, quando Sajjid Sharif, Wajjad e outras pessoas não identificadas atacaram a família cristã.

“A castidade de [nome retido], que na época tinha 13 anos de idade, e é a mais nova entre suas irmãs, foi arruinada pelos membros da gangue muçulmana. Após estuprá-la, eles a mantiveram aprisionada em um local secreto.”, disse Gill.

A polícia conseguiu encontrá-la posteriormente, e os exames médicos provaram que ela foi abusada sexualmente repetidas vezes, disse Gill. Shujjat disse que os quatro homens foram processados pelo estupro e rapto da garota. Testemunhas disseram ao CDN que os estupradores pagaram fiança e foram libertados pouco tempo depois de sua prisão.

Ferhan Mazher, líder do grupo de direitos cristãos Rays of Development Organization, disse que a única forma que os “perversos criminosos muçulmanos” encontraram para escapar do julgamento do tribunal, foi ameaçar a família cristã a retirar a queixa.

“Os criminosos muçulmanos invadiram a casa da família muçulmana para pressioná-los a desistirem da acusação,” disse Mazher.

Artigos relacionados
Cristã de 13 anos raptada, casada e convertida à força

Share

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: