Família Cristã Vietnamita Forçada a Se Esconder


HO CHI MINH, Vietnã, 1 de abril de 2010 (CDN) – Sofrendo severos abusos nas mãos de aldeões e oficiais vietnamitas locais, o cristão de Hmong Sung Cua Po fugiu para a floresta com sua família em 19 de março de 2010. Oficiais comunistas os expulsam da vila; em outra cidade, um pastor de 55 anos é arrastado por uma motocicleta.

Uma ordem de expulsão havia sido emitida para sua família, relatou um líder cristão local.

Desde que a CDN relatou em 18 de janeiro que o Sr. Po, que se tornou cristão em novembro de 2009, havia recebido 70 golpes na sua cabeça e coluna depois que autoridades comunistas regionais na província vietnamita noroeste de Dien Bien o prenderam em 1° de dezembro do ano passado, ele sofreu agressões pela polícia da Comuna de Nam Son em 10 de fevereiro e o confisco de sua motocicleta.

O líder cristão disse que a polícia ameaçou “bater nele até só sua língua ficar intacta” caso ele não se arrependesse de sua conversão.

Sem ceder à idolatria

Por volta do Ano Novo Lunar em fevereiro de 2010, Po teve uma discussão com seu pai sobre oferendas aos ancestrais da família. Cristãos da etnia Hmong não vêm nenhuma relação entre o culto aos ancestrais e a sua nova fé em Jesus; para eles é o encontro a um poder espiritual maior sem possibilidade de compromisso, e Po foi firme em sua devoção a Cristo, se recusando a sacrificar aos seus ancestrais.

Em 20 de fevereiro de 2010 a polícia do distrito de Nam Son foi autorizada por autoridades do distrito de Dien Bien Dong a demolir a casa de Po, se necessário. Em 21 de fevereiro , membros da comunidade apoiados pela polícia confiscaram 40 sacos de arroz, o suprimento de um ano da família. Os aldeões também roubaram todos os utensílios de cozinha e mesa da família.

A pressão contra o cristão Po, um membro do clã Sung que há muito tempo resiste ao cristianismo, vem tanto de tradicionalistas na sua comunidade e do governo, mas o governo tentou acobertar seu próprio envolvimento. Especialmente hostis à família Po foram os oficiais Hang Giang Chen da polícia do distrito de Dien Bien e Sung Boua da polícia da comuna de Nam Son.

Casa demolida pelas autoridades

Uma fonte próxima a Po relatou que autoridades locais e aldeões demoliram a casa da família em 14 de março de 2010. Em 19 de março os Po, roubados de tudo e desprovidos de possessões, fugiram para a selva com suas três crianças. Seus parentes e membros da comunidade disseram não saber onde eles estavam. Talvez estejam abrigados por alguns dos vários cristãos na região.

A mesma fonte relatou que uma delegação estrangeira visitou a vila em 25 de março de 2010 perguntando sobre Sung Cua Po. Nenhum cristão foi permitido a encontrar-se com a delegação estrangeira. A fonte também disse que a polícia esteve lá antes para forçar os aldeões a alegar que não havia envolvimento do governo comunista nas agressões, roubo e destruição casados à família do Sr. Po e fez ameaças sérias àqueles que falassem a verdade.

Governo de Hanói é incompetente em fazer valer a lei

Esse antagonismo persistiu mesmo quando vários governos de países ocidentais questionaram a perseguição da família Po em meio a oficiais de alto escalão do governo.
“A única conclusão que podemos ter”, disse uma fonte bem informada no Vietnã, “é de que o governo central ou é incapaz, ou não tem vontade de intervir e aplicar os padrões nacionais de tolerância religiosa.”

Um líder cristão regional disse à CDN ontem que antes nessa semana autoridades regionais daquele país haviam queimado as casas de 14 dos cristãos em outra comuna no distrito de Dien Bien Dong, e que ele tentava arranjar abrigo para as famílias afetadas. O líder disse que autoridades do distrito de Dien Bien Dong desrespeitam completamente as leis vietnamitas de tolerância religiosa e não sofreram punição por isso.

Depois que o cristão Po foi detido em 1° de dezembro de 2010, a polícia e soldados do distrito de Dien Bien Dong e da comuna de Na Son liderados pelo policial Hang A Senh levaram Po e sua esposa ao Comitê do Povo da Comuna de Na Son depois que a polícia antes incitou os residentes locais a abusar e atirar pedras neles e em outras famílias cristãs. Depois que Po e sua esposa foram agredidos à 1 da manhã naquela noite, ele foi multado em 8 milhões de dongs (USD 430) e em um porco de 16Kg.

Pastor de 55 anos acorrentado e arrastado

Em Phu Yen, no sul do Vietnã, intolerância religiosa também se mostrou quando a polícia arrastou um pastor atrás de uma motocicleta, relataram líderes cristãos.
A polícia local intimou Y Du, um pastor de 55 anos de idade do grupo étnico Ede, à polícia para questionamentos em 27 de janeiro. Enquanto ele dirigia sua motocicleta até a delegacia, Du foi abordado pela polícia local que acorrentou suas mãos e depois amarrou as correntes com uma corda na motocicleta.

Fontes cristãs disseram que eles forçaram o pastor Du a correr detrás da motocicleta enquanto eles dirigiam, e ele caiu várias vezes, sendo arrastado pelo chão. Ele foi agredido e forçado a continuar correndo.

Aldeões em Hai Rieng testemunharam o ocorrido, e temendo pela vida do pastor, gritaram exigindo o fim da tortura. Du então foi carregado à delegacia e preso na penitenciária de Phu Lam, no distrito do mesmo nome, na província de Phu Yen. Nenhuma acusação foi feita contra ele.

A polícia comunista então visitou sua esposa na casa deles, procurando por evidência de atividade ilegal.

Recusa em se vender por 30 dinheiros

Líderes cristãos alegaram que oficiais de polícia comunistas tentaram subornar a esposa do pastor Du para renunciar sua fé cristã, dizendo que “se você renunciar sua fé, nós vamos lhe construir uma nova casa e dar-lhe arroz.” A família é pobre e vive em uma casa de bambu. Ela respondeu que morreria antes de renunciar a sua fé cristã.

Na metade de fevereiro, a polícia local disse à esposa do pastor Du que eles não conseguiram encontrar nada para acusar seu marido. Mas eles disseram que ele continuava sob custódia por se recusar a denunciar o líder de uma escola bíblica na província de Dak Lak, o pastor Mai Hong Sanh. O pastor Du foi torturado frequentemente, disseram as fontes.

Outro missionário, o pastor Y Co também do grupo étnico Ede, foi preso e mantido na penitenciária de Phu Lam sob as mesmas condições. O pastor Du e o pastor Co foram soltos em 20 de março de 2010, mas relatos de sua prisão não foram publicados ainda.

Tanto o pastor Du como Co são missionários da Igreja Vietnamita da Missão da Boa Notícia.

Anúncios

Uma resposta

  1. é muito triste ver pessoas de mesma fe nossa sendo mortas tortutaradas e etc….
    na minha igreja estamos fazendo um programa de oraçao por paises do mundo inteiro! e eu estou encarregada do Vatnã, estou orando por vcs abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: